QUEM SERÁ O NOSSO PERSEU?

A idéia de Educação nacional, surgiu no século XVIII. Após a Revolução Francesa e a criação dos estados nação na Europa. Partia do pressuposto que o espaço público democrático era recheado por indivíduos informados acerca do que se passava no mundo e capazes de reflexão crítica e participação ativa nas discussões políticas.

Era a educação, não que tenha sido bem realizada, a de formar cidadãos, habilitá-los a tomar parte nos debates políticos e a pensar nas questões políticas, sociais e culturais para além dos seus próprios interesses, numa perspectiva do bem comum, do interesse coletivo.

Porém o liberalismo proposto por Adam Smith, sobretudo para combater os abusos e interferências do sistema feudal, foi se transformando num mostro tal qual as irmãs Górgonas. Nessas transformações ligadas ao que denominou-se chamar de neoliberalismo dos últimos 30 anos, as instituições dominantes viram que era importante apropriarem-se da educação e cultura. Muito mais do que isso, apossar-se das mentes das crianças e jovens.

O primeiro golpe sem dúvida foi na ditadura de 1964. Costumo dizer que foi o golpe dentro do golpe, porque a educação foi duramente castigada visando a alienação das mentes dos indivíduos, através da Educação Tecnicista. O Brasil dormia enquanto se fazia a festa com o desmonte do sistema da educação pública desde o seu conteúdo até o demérito do professorado. A rede do ensino privado sorria satisfeita com as novas diretrizes escusas cuja finalidade era a de favorecer e sobretudo enriquecer o setor privado da educação.

Caminhando lado a lado, nossa cultura era contagiada pela mesma epidemia. O lixo cultural entranhou-se maciçamente pelos meios de comunicação, deixando-nos um vazio de profunda nostalgia. Os tempos de Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Villa Lobos ficaram no esquecimento. Sem dúvida a mídia mancomunada com o regime ditatorial, verdadeiros pusilânimes, justificavam as atrocidades, denegrindo os intelectuais da cultura, educação etc. com o estigma de (comunistas). Isso era o suficiente para ludibriar e justificar as barbáries cometidas pelo DOI-CODI, DOPS e todos os requintes de crueldade orquestrado pela ditadura militar, com plena participação dos EUA. Grandes aproveitadores como a Rede Globo caminhavam de mãos dadas com a brutalidade enquanto seus cofres eram recheados de ouro banhado pelo sangue dos que lutavam pela democracia. A mãe gentil era deflorada em troca de todos os tipos de favorecimento e concessões presenteadas pelo regime. Com maestria, diga-se de passagem, ganharam força, poder, redes de influência e credibilidade junto à opinião pública.

Diz o dito popular que desgraça pouca é bobagem, e de fato pelos idos dos anos 70 financiados pelos consórcios e pelas grandes fortunas particulares, surgiram os (THINK TANKS) – USINAS DE IDEIAS, neoliberais costumam gozar do estatuto de organizações de beneficência. Assim, os generosos doadores têm direito a inseções fiscais.

As THINK TANKS, na verdade sempre existiram mas se afirmaram fortemente nos anos de 1970. São formadas por intelectuais orgânicos neoliberais, ganhadores de prêmio Nobel etc. conectada a grandes grupos midiáticos. E é através desta correia de transmissões midiática que a ideologia neoliberal atinge o seu estatuto de dado adquirido. O Ethos do neoliberalismo. Uma espécie de segunda pele, a qual tudo parece ser natural sem interferência, gerenciamento e na maioria das vezes seguida de um conformismo pelo qual não adianta lutar, porque na verdade é um fato consumado, uma realidade e ponto final. Essa mídia consegue, não sem resistência, tornar natural o que de fato é articulado, pensado, escolhido e determinado como estratégia de ação neoliberal.

Quando o povo brasileiro respira os primeiros ares da primavera democrática, surge um monstro ainda pior a ser combatido. Agora não seria necessário usar da força bruta que desgastou tanto a ditadura militar, mas sim a dominação simbólica. Essa entra sorrateira, com os Think tanks articulando medidas capitalistas como nunca visto e a rede da mídia, através de suas técnicas modernas da propaganda, incumbida para formar a opinião pública através de um verdadeiro bombardeio de informações diárias e constantes.

Assistimos Fernando Collor de Mello (o caçador de marajás) e logo em seguida Fernando Henrique Cardoso chegar ao poder. De Fernando em Fernando o Brasil ia se acabando…

A sociedade brasileira vai navegar nas teorias do capital Humano. Foi Milton Friedman, o pai da economia, que propôs um sistema de vales, cupões de educação, em que a idéia era infiltrar os mecanismos do mercado na educação e promover a concorrência entre as escolas.

Mas o neoliberalismo vem desta vez com um pacote completo. Assim como a Medusa, da mitologia grega, cujos fios dos cabelos são cobras, as serpentes que brotam da cabeça de uma das irmãs Górgona, são os múltiplos braços do capitalismo neoliberal, infiltrado nas diversas esferas da sociedade petrificando e massacrando sem piedade as mentes e corpos da sociedade civil.
É impressionante assistir como todos os elementos da conjuntura neoliberal estão concebidos especificamente para minar a democracia.

Nada escapa dos olhos de Medusa. Privatizações, educação e cultura passam a ser suas vítimas preferidas.

Para impor, a sua ideologia, os neoliberais elaboraram, ao longo dos anos uma estratégia implacável de cerco ao pensamento.

Esta estratégia resulta da ação de uma rede planetária de propaganda, intoxicação e indoutrinação, que sabe fazer ouvir a sua voz polimorfa em todas as tribunas. Em grande parte concebida nos (THINKS TANKS), a propaganda neoliberal utiliza várias vias de reprodução. Uma das mais importantes foram educação e cultura.

Transformaram a educação numa atividade econômica, portanto uma empresa, um mercado altamente rentável. Logo, torna-se interessante apropriarem-se dessa atividade social e comercial. Apropriar-se desde a tenra idade das mentes das crianças. Portanto para os neoliberais educar é apropriar-se dos cérebros. E isso é extremamente grave, requer uma justificativa válida e a mim me parece que ela não existe.

Os Neoliberais partem da premissa de que a Economia científica é uma ciência como outra qualquer, portanto imita a física. Em sua ótica doentia o dinheiro vai daqui para ali. Eles contam, observam, classificam, mas não julgam, pois a física, a mãe de todas as ciências, não julga.

Assim nossas empresas foram doadas, sucateadas, a educação deixou de ter como fim a cidadania, o bem comum, a formação do homem omnilateral, desviando-se para os interesses dos privados. Transformou-se no prelúdio da vida mercantil, da empregabilidade, o que é perturbador. O mais desumano é a perda de sentido de certas atividades intelectuais e humanas que isso implica. As instituições de ensino deixaram de se preocupar em formar poetas, músicos, gente da literatura, artistas e crianças questionadoras, criativas e participativas. Não sem resistência, justiça seja feita.

O legado de FHC foi nefasto de devastador. Distribuiu nossas riquezas a preço de moedas podres, transformou as instituições de educação em sistemas de reprodução de servidores do neoliberalismo, uma espécie de bípedes pensantes sem mais preocupações senão a de manter este mercado livre e auto-regulado e de manter este sistema de produção e multiplicação do dinheiro. Aumentou assustadoramente a exclusão dos menos favorecidos, hierarquizando ainda mais a pirâmide social. Educação e cultura transformaram-se em meras mercadorias.

Sim, o ataque à cultura veio mascarado, principalmente pela Lei Rouanet. O aumento do jabá tornou-se, como disse anteriormente, algo natural. Medusa transformou até mesmo as mentes de grandes artistas em pedra naturalizando um sistema corrupto em um hábitus. Não vou nem entrar na questão do ECAD. Seria necessário um dossiê para essa instituição.

As criações dos músicos, artistas plásticos, cineastas, atores passaram para as mãos dos tecnocratas, que tornou refém todos os que produzem cultura nesse país, com poder de decisão e julgamento para o que é arte e o que não é. A classe artística passou a mendigar nas portas dos capitalistas. Cultura agora é produto de prateleira.

Causa-me indignação perceber que tudo que foi conquistado no Governo Lula através de Juca e Gil esteja sendo estagnado, minado. Assistimos pasmos o retrocesso da cultura no Brasil.

Se existiram falhas na Gestão do Gil, basta melhorar, reorganizar e galgar melhorias. Experimentamos um suspiro de liberdade, e não vamos abrir mão dessa conquista.

Estamos defendendo nossos interesses. Através do voto, muitos brasileiros escolheram representantes que dessem continuidade a esse movimento de uma NOVA PRIMAVERA CULTURAL.

Segundo a mitologia Grega, as irmãs Górgonas e principalmente Medusa, cujos cabelos eram serpentes vivas e os olhos transformavam tudo em pedra foi decapitada por Perseu. Atena lhe doou um elmo, sandálias aladas, um alforje (quíbisis) e um escudo de bronze para auxiliá-lo na exterminação da grotesca figura.

A pergunta que não quer calar: quem será o nosso Perseu? Nós, o povo brasileiro, nós os artistas e intelectuais deste país. Mas antes se faz necessário a ação participativa, os debates, a união e conscientização.
Só assim, Medusa (ideologia neoliberal) terá sua cabeça decepada. E para sempre muito bem guardada no alforje, a fim de que nunca mais seu espectro possa nos perseguir e lesar.

JOSEPHINA CARNEIRO
Pedagoga e flautista

Anúncios

21 respostas em “QUEM SERÁ O NOSSO PERSEU?

  1. Texto dos melhores, senão o melhor, que já li a respeito do desmonte da Educação e da Cultura para a implantação soberana do Neoliberalismo…que a História esclareça as mentes e tal barbaridade não se repita!!!
    há 10 minutos · CurtirCurtir (desfazer) · 1.Ronaldo Ribeiro Granja O que não dá pra entender são os cargos de Direção terem ficado nas mãos dos filhos da Revolução, após a Anistia, e com a direita ultraconservadora após o advento da CRFB/88…e me lembro como eram forjadas a imgem/perfil desses “bonecos em…plumados”, sempre como se fossem “seres especiais, melhores que os outros”…esses eram os tais que implantavam e geriam os programas de “qualidade total” nos seus “servos” … Quando é que vai se dar um basta nessa curriola?Ver maishá 2 minutos · CurtirCurtir (desfazer).
    Ronaldo Ribeiro Granja O que não dá pra entender são os cargos de Direção terem ficado nas mãos dos filhos do GOLPE DE ESTADO, após a Anistia, e com a direita ultraconservadora após o advento da CRFB/88…e me lembro como eram forjadas a imgem/perfil desses “bonecos emplumados”, sempre como se fossem “seres especiais, melhores que os outros”…esses eram os tais que implantavam e geriam os programas de “qualidade total” nos seus “servos” … Quando é que vai se dar um basta nessa curriola?

  2. Quando vi esse texto da Josephina Carneiro, um mundo inteiro de respostas abriu-se na minha mente. Tive de pedir a ela para publicá-lo no meu blog, pois o achei simplesmente incrível! Fundamentando desde o início da idéia de Educação Nacional, passando pela nossa “querida ditadura”, ela acabou montando um enorme quebra-cabeças que havia na minha mente, que, sozinho, eu só tinha conseguido juntar algumas peças.

    Quando algumas pessoas evocam a ditadura militar como solução para o lixo (BBB, funk, sertanejo universitário) que atrofia a cultura nacional, eu me perguntava por que a ditadura censurava Chico Buarque e Raul Seixas mas as pornochanchadas afloravam e rolavam totalmente soltas.

    Também sempre me perguntei de onde sai tanta argumentação a favor da passividade, “não adianta lutar”, “nada vai mudar”, “as coisas são assim mesmo”, “não vai dar certo”. Como incutiram na cabeça das pessoas essa certeza preguiçosa, às vezes arrogante, de prever não só o futuro simples, mas até mesmo o futuro do pretérito (“e se tivesse acontecido x, terminaria em y da mesma forma”)?

    E ainda, como pode tanta sujeira, tanta podridão por baixo dos fatos históricos só ter aparecido agora na era da Internet? Como pode uma mídia tão descaradamente parcial poder ter se formado debaixo dos nossos narizes?

    Quando Educação e Cultura viram pedras diante da Medusa neoliberal, o articulado torna-se natural na nossa mente. Mas a Josephina denunciou toda a anatomia do monstro. E agora, melhor instruído, sinto-me mais preparado para enfrentá-lo.

    Que juntos, formemos um único, grande e poderoso Perseu!

  3. Grande Josephina Carneiro.
    Antes de mais nada não deixarei de falar à todos que tive a oportunidade de ser aluno de uma pessoa cujo as qualidades e as caracteristicas não podem ser listadas. Tamanha sabedoria não é falada, apenas ela sabe mostrar e nos ensinar.

    QUEM SERÁ O NOSSO PERSEU?
    Nunca li tamanha descrição com detalhes tão bem explicados.
    Ressalto algumas partes que eu mais gostei se assim posso falar.
    ‎”Os tolos e os fanáticos estão sempre seguros de si, mas os sábios são cheios de dúvidas” Infelizmente isso nao parece mudar.
    ”Nada escapa dos olhos da Meduza. Privatizações, educação e cultura passam a ser suas vítimas preferidas.”
    FHC* Nosso mais esperto Presidente. So ele ganhou.
    ”Para os neoliberais educar é apropriar-se dos cérebros.”
    Eles falam É ASSIM, e ponto final, não da a oportunidade de pensar mesmo. A coisas ja estão prontas. perguntas e resposta. Durantes anos o chamado ensino Dirigido.
    ”Distribuiu nossas riquezas a preço de moedas podres, transformou as instituições de educação em sistemas de ***reprodução de servidores do neoliberalismo***
    Estudar muito gera conhecimento e nós com eles não vamos trabalhar para eles e sim vamos querer que trabalhem para nós. É a pura verdade…
    Lei Rouanet >> Só em um país destruído para que seja necessário criar uma Lei de Incentivo a Cultura. E faço ideia a luta que deve ter sido para aprovar e hoje não deixa de fazer parte de mais um Lei que temos e que não é usada. Nosso País é um colecionador de Leis.
    São tantas que até se esquece!

    Carinhosamente
    Fabrício Fattuh
    ADM e Flautista.

  4. Anna Voig
    ‎”DEMOCRACIA”

    por Anna Voig, terça, 17 de Janeiro de 2012 às 21:30

    GRITA NAÇÃO!
    SEM PÃO NÃO HÁ GUERRA
    HÁ OMISSÃO
    SEM POESIA NÃO HÁ LEITURA
    HÁ ANALFABETOS
    MAL REMUNERADOS
    DESONESTOS
    SEM EDUCAÇÃO

    GRITA NAÇÃO!
    PROFESSORES SEM CORAÇÃO
    POETAS SEM ALMAS
    NAÇÃO SEM FILHOS
    ESTRANGEIROS DE UMA GERAÇÃO
    SEM PATRIOTISMO
    SEM DEDICAÇÃO
    SUOR NA CARA
    SÓ DE FANTASIA
    MELHOR MESMO É A EUFORIA
    A BELEZA REBUSCADA
    NEURÓTICOS SEM PERDÃO
    IRONIA DO CETICISMO
    CADA UM POR SI
    NÃO VALE UM IRMÃO

    GRITA NAÇÃO!
    VALHA POR SUA RAÇA
    POR SUA INSPIRAÇÃO
    DURMA ANJO DA GUARDA
    NÃO HÁ LADRÃO!

  5. ” BEIJO PERVERSO”
    por Anna Voig, terça, 24 de Janeiro de 2012 às 17:10
    ” BEIJO PERVERSO”

    o poder é neurótico
    poeta tbm
    ninguém pode com a lingua afiada
    mãos ágeis
    indignação
    posicionamento aquecido
    por um fôlego de tufão
    não peço clemencia
    nem pras urnas
    faço meu dia valer meu pão
    alimento a gnt nutri ensinando ao cidadão
    não se cale
    não se curve
    faça sua energia gerar mais energia
    a luz é pão
    saber é sapiencia
    cultura é história
    que hj em dia se escreve]
    estória
    nas mãos calejadas
    brassal
    engravatado ou de saia
    atemporal
    sua alma sua palma
    como diz o ditado
    faça aos outros o que lhe agrada
    na esquina desta láctea
    pode o verso se interromper
    e o inverso tomar para si o poder

  6. Perfulgente
    por Anna Voig, terça, 24 de Janeiro de 2012 às 16:11
    Perfulgente

    Perfunctório é a vaidade
    Periclitante, neste instante
    Desguedelhar ao sabor do vento
    Desmochar, vai-se sem rumo
    Teocracia, suplementa tenaz
    Invasivo como sujeito
    Oriforme, consome a utopia
    Cai por terra
    Beija o chão
    Obatalá, vem em socorro
    Camba esta veste
    Levanta-o
    Induta esta criatura
    Sucumbe a fantasia
    Atempar a crueldade ignóbil
    A vaidade de homem proscritor
    O verbo é humano
    Igualdade é o poder
    Abioto é culpa
    Inocente e perfulgente
    É a vida ao nascer!

  7. essa gnt metida
    por Anna Voig, terça, 24 de Janeiro de 2012 às 15:17
    essa gnt metida

    enlouquecida de quentura frita em óleo dende
    feito pimenta malagueta
    cheia não de veneno]
    mas de vitamina E
    arde
    e como arde
    até os dentes
    menina sapeca
    mulher assanhada
    me deixe respirar
    preciso trabalhar
    vc só quer brincar
    brincar de escrever
    vou desligar esse fogo
    juntar um leite de coco
    depois coloco acento
    agora
    se paro me perco
    iuh
    como vc é quente
    me faz derreter
    solte……..
    mostre a sua outra cara
    menina mimada
    agora não deu
    a net caiu
    sumiu
    plug!

    plug!

  8. “sem regras e privilégios”
    por Anna Voig, terça, 24 de Janeiro de 2012 às 12:39

    “sem regras e privilégios”

    como sou aprendiz, sem regras e privilégios de doutoranda nisso ou naquilo
    escrevo o que me vai à alma
    na força do espírito
    com ardor e paixão
    afinal
    sou humana
    me dou ao direito de falar besteira
    errar na grafia, desculpa
    não no sentido
    que me expõe ao outro
    quem sabe uma armadilha?
    enfim
    assuntos são diversos
    como as rimas
    os sonetos que chegam sonolentos
    como os versos
    que buscam seu par ferfeito
    sou aprendiz
    só aprendiz
    preciso dos outros
    do saber
    da curiosidade
    da maturidade
    em meu universo
    verso pra ti
    obrigada
    obrigada, por VC aí
    mestre da canção que embala essa minha oposição ao comum
    à mesmice
    ao incerto
    qdo tentar
    for um perigo à omissão
    alí busque meu eu
    sou só uma aprendiz

  9. Pode parecer piegas, mas, não sei se por já ter vivido uma quantidade de anos, que dificilmente viverei outro tanto, ou tentar amenizar minhas frustrações por não ter tido oportunidade de fazer (em termos profissionais) o que gostaria devido às limitações financeiras de meus pais, sempre raciocínio com a crença de que Deus, realmente, existe! Sendo assim, penso que Ele nos deu a inteligência… A chance de chegarmos ao nível atual de tecnologia para que pudéssemos nos desincumbir de várias tarefas mecânicas, sendo substituídos por máquinas (automação), de tal modo que sobrasse mais tempo para a filantropia, os questionamentos a cerca do nosso papel aqui na Terra (de onde viemos, para aonde vamos?), a solidariedade, o amor, a cultura…
    Aí, entram o egoísmo, a ambição, a mesquinharia… O Capitalismo, que escraviza e exige de quem depende de um trabalho para o sustento da família, cada vez mais, nunca se satisfazendo. Aquilo que era para facilitar a vida do homem, de modo que tivesse mais tempo para seu desenvolvimento cultural, humano e espiritual, vira opressão. Exige-se cada vez mais em troca de cada vez menos.
    Os valores são invertidos. O que vale é aquilo que vende mais, não importando o quanto durará ou o benefício que se vai extrair disso ou daquilo outro. Assim acontece em todos os segmentos de nossa vida, onde tudo vira… Comércio (ou uma forma de se ganhar dinheiro… Tanto dinheiro que se pode viver duzentos, trezentos anos sem esgotá-lo)!
    Dentre as inúmeras atividades (que considero essenciais ao bem estar de qualquer pessoa) atingidas pela usura, temos a Cultura. Parafraseando o magnífico torneiro mecânico, “nunca antes” houve tanto mau gosto na música brasileira. Já há três décadas não vemos lançamentos de músicas de qualidade no Brasil (salvo raríssimas exceções). Só lixo… Não vou nem perder meu precioso tempo nomeando os “artistas” descartáveis, cujo sucesso não alcança dois ou três anos e logo desaparecem, sem deixar saudades. Nem, muito menos, vou entrar na seara da televisão, que é o principal instrumento do Capitalismo, impregnando-nos, desde a mais tenra idade, com a sede de consumo de futilidades e porcarias que só fazem mal ao corpo e ao espírito, pois, caso contrário, este comentário que visa enaltecer o magistral texto da Josephina acabará virando um testamento de lamúrias, já que o que tenho a escrever em relação a este extraordinário meio de comunicação, são queixas e mais queixas.
    Parabéns, Josephina… Disseste tudo e um pouco mais!!!

  10. Excelente texto da nossa amiga Josephina. Objetivo, claro, direto. Uma prova cabal de que, mesmo com todo esforço da Ditadura militar e do Neoliberalismo, ainda resistimos com mentes capazes de produzir textos como esse. Leitura obrigatória. Divulgação também.

  11. Bom texto, mas pondero sobre “tudo foi conquistado no governo Lula…” e se tudo está “estagnado” é em razão da falta de critério, que não só visou a defesa dos “nossos” interesses, mas os utilizou para privilégio de alguns, traduza-se em ” ONG”.

  12. Puxa Josephina !!
    Adorei a tua reflexão !Texto digno de ser publicado e lido por todos. Todas as pessoas deveriam conhecer essa parte negra da nossa historia e tentar mudar. Andar pra frente. Valorizar o ensino e a educação no Brasil.
    Continue escrevendo e publicando as realidades do nosso Brasil.

    Um beijo grande pra você

  13. O povo, gigante adormecido, não conhece sua força, seu valor. Escola com rico é ensino de qualidade, começou a entrar pobre na faculdade é ensino desqualificado, é só um canudo sem valor. Puro preconceito. Educação é mercado! Infelizmente. Se o governador melhorar o ensino público, o sujeito de classe média considera a hipótese de tirar seu filho do objetivo, anglo, etapa, para colocá-lo na escola estadual de qualidade. Mas quem banca mesmo a candidatura do governador? As escolas particulares, com a promessa (essa bem cumprida) de que o gaiato continuará derrotando a educação pública. E com a saúde acontece o mesmo? Por que não? -Ei, você, proprietário do plano de saúde, banca minha campanha eleitoral e eu prometo que você ganhará muito clientes, pois vou deixar a saúde pública lastimável. ok? Tratos feitos, dinheiro no bolso, mansões, maracutárias, e o povo assistindo novelas e parando para o futebol. Ótimo texto Josephina Carneiro. Pessoa lúcida.

  14. O neoliberalismo nada mais é do que a maximização da mercantilização. É a mercantilização de todos os aspectos da vida. Infelizmente a educação foi um alvo prioritário. O bussines jurídico então nem se fala. Pra brigar contra isso, é necessário garantir direitos.

  15. Só hoje pude ver a quantidade de postagens sobre o texto que escrevi no blog do querido amigo Sérgio Ricardo. Agradeço a todos! As saudades são muitas. Estou morando em Manaus! bjs.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s