Aos Exmos. Srs. Cidadãos das leis, do governo, dos plenários, e que tais.

Desculpem a fala rude de um modesto compositor popular, mas a mim me parece estar assistindo ao filme de uma grande farsa, onde não só o dinheiro fala alto, mas o caráter do enredo.

Reclamando de uma postura ao grupo de amigos, com profunda vontade de moralizar nossa realidade autoral, me dizia um colega. Tudo Bem, Sérgio, mas nós estamos no porão do navio e eles estão na primeira classe. Isto por eu ter argumentado que quando as empresas defendem seus direitos, por mais tempo que levem para atingir um resultado, são muito mais rapidamente atendidas que as reivindicações de uma classe que há anos vem esperando a sua concretização.

O caso do CADE versus ECAD, me parece a gota d’água.  Um órgão do Governo multando uma empresa privada desonesta é compreensível. Mas conseguir reverter a situação e fazer o bandido virar vítima, ou é muito descuido ou desatenção. Aproveitando-se da oportunidade, pequena parte da classe artística, dentre os quais ingênuos ou coniventes, tomaram as dores da vítima, esquecendo-se ou relevando seus crimes, em temor aos seus dividendos que haveriam de se somar para o pagamento da multa milionária. E principalmente pelo novo racha provocado na classe já tão desunida, favorecendo uma entidade sem a menor moral. Realmente uma aberração, considerando não só o montante da conta, como a clareza de que ela não sairia a não ser do bolso dos artistas. Que paradoxo absurdo! O governo cobrando do artista o dinheiro que o Ecad teria que desembolsar para cumprir a pena sem sequer consultar o artista?

Então como é que fica essa história? Estaria o governo trocando as bolas? Não foi por acaso o próprio governo, através da CPI do direito autoral quem detectou as irregularidade do Orgão e aconselhou uma fiscalização, além de nominar os malfeitores pedindo sua condenação? Não seria este o primeiro passo, neutralizando as investidas da gang? Porquê essa atitude estapafúrdia de saltar uma etapa, para atender as exigências dos viajantes na primeira classe ? Esta decisão é mais premente que as reivindicações dos que estão no porão do navio? Não lhes passa pela cabeça que são estes que terão que desembolsar a quantia astronômica que estão cobrando? Não posso acreditar que seja o propósito do governo, qualquer que seja o argumento, aproveitar-se de uma situação como esta para puxar dividendos para seus cofres, do bolso miserável dessa cultura em frangalhos que não tem direito nem de conquistar seus direitos. Isto é uma ofensa contra a cultura desse país que tem na música a construção de nossas almas, de vossas almas, a quem devemos. por obrigação moral,  preservar e coloca-la em seu verdadeiro pedestal e não leva-la à desmoralização à que chegou. Lembrem-se que foram embalados por nossas canções, que grande parte de sua alegria é devida ao nosso canto. Respeitem seu tesouro. Não lhes devemos nada. Vocês é que nos devem.

Não esperem um motim neste navio. Porque se o fizéssemos não seria com armas, nem leis. Seria apenas com o nosso silêncio. Vocês morreriam de tédio, mas o povo não esqueceria nossa voz.

Sergio Ricardo

Anúncios

13 respostas em “Aos Exmos. Srs. Cidadãos das leis, do governo, dos plenários, e que tais.

    • Antes a ditadura? Nunca!!!!!!! Ainda podemos espernear, e gritar, e falar. Na época (e eu sei bem o que foi) a coisa era pior. Me arrepio toda, tenho vontade de sumir desse país, quando alguém me diz, “antes a ditadura” . O senhor me perdoe a impertinencia, mas DITADURA NUNCA MAIS!!!!! Abraços democráticos (ainda que seja uma democracia capenga)

      • Acho (e espero) que Lula Dias não soube se expressar e quis dizer que antes a ditadura “era”, só trocar o tempo do verbo. Mas eu vou um pouco mais além, antes era ditadura militar, agora é ditadura econômica.

  1. Bravo, Sergio! “O caso do CADE versus ECAD, me parece a gota d’água. Um órgão do Governo multando uma empresa privada desonesta é compreensível. Mas conseguir reverter a situação e fazer o bandido virar vítima, ou é muito descuido ou desatenção. Aproveitando-se da oportunidade, pequena parte da classe artística, dentre os quais ingênuos ou coniventes, tomaram as dores da vítima, esquecendo-se ou relevando seus crimes, em temor aos seus dividendos que haveriam de se somar para o pagamento da multa milionária.” Chega de mentiras sem fundamento, de manobras que desviam a atenção da obscura gestão coletiva, onde está o foco dessa doença toda.

  2. MESTRE SÉRGIO, MAIS UMA VEZ A SUA DIGNIDADE SOBRE O CASO, CADE x ECAD, FALA MAIS ALTO COM A SUA CONSCIÊNCIA SÁBIA E PLENA, E TODOS QUE POR AQUI, RELATARAM COM PERSONALIDADE, DÓ E RELEVÂNCIA, AS SUAS OPINIÕES. JÁ FALEI ANTES EM OUTRO EPISÓDIO, TEMOS QUE NOS MOBILIZAR DE ALGUMA FORMA, CLARO QUE O G.R.I.T.A., É UMA GRANDE REALIDADE E FORMA DE SENSIBILIZAR a CLASSE, DISCUTIR e MOBILIZÁ-LA, MAS ACHO QUE PODEMOS IR MAIS ALÉM, PRECISAMOS TAMBÉM, CONSTRUIR, ORGANIZAR, QUEM SABE UMA PASSEATA, ATÉ BRASÍLIA (CADA UM DE NÓS, SAINDO DA SUA CIDADE, NUM GRANDE ENCONTRO DE REINVIDICAÇÕES E CANÇÕES), DE MÚSICOS, COMPOSITORES, ARTISTAS EM GERAL, ETC, SEI QUE É UTÓPICA, É MUITO DIFÍCIL, PRINCIPALMENTE DA NOSSA CLASSE ARTÍSTICA, QUE TODA HORA FALAMOS QUE É DESUNIDA, e É, MAIS SEI LÁ, ALGUMA COISA TEMOS QUE FAZER, NÃO SÓ PELAS REDES SOCIAIS, INTERNET, MAIS NO CORPO A CORPO, OLHOS NOS OLHOS, MÃOS DADAS, PARA ACRESCENTAR AO MOVIMENTO, E SÓ COM A DEMONSTRAÇÃO DA NOSSA FORÇA, ELOS FORTES, CORRENTE FORTE, É QUE CONSEGUIREMOS, CONTRA TODOS OS OBSTÁCULOS, QUE NOS CERCAM, E NÃO SÃO POUCOS, APROVEITANDO O MOMENTO, ATINGIR NOSSOS OBJETIVOS, QUE SÃO JUSTÍSSIMOS…(DESCULPE A VIAGEM, É SÓ UMA OPINIÃO, DE MAIS UM POBRE INDIGNADO, CONTRA OS CARTÉIS, A CORRUPÇÃO E OS OPORTUNISTAS DE PLANTÃO) abraços fraternais!!! FIQUEM COM DEUS!!!

  3. Nem Kafka conseguiria tamanha proeza.
    Responsabilizar o escravo pelo fato do chicote do feitor que o açoita ter se partido durante o açoitamento ?
    Sérgio, meu camarada…
    Sugiro uma campanha pública imediata de moções de repúdio endereçada à Marta Suplicy, ministra da Cultura, exigindo que os responsáveis por essa atrocidade sejam exemplarmente punidos.
    A extinção do ECAD deve ser uma de nossas reivindicações além da criação de um novo órgão de arrecadação de direitos autorais à partir de critérios que garantam a sobrevivência digna dos trabalhadores da Arte.

  4. Recentemente numa viagem internacional a senhora Marta Suplicy, deixou de cumprir a lei e entrou num avião sem realizar os rituais alfandegários, mas foi obrigada a descer do avião, para ter de ir cumprir a lei!!!!!!!!??????………………

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s